Os 11 motivos que fazem de mim um sociopata… e com muito orgulho!

Existe um site, dentre vários neste info-mar, que varia em suas postagens entre o útil e o completamente idiota. O que falo especificamente é o do Geledés Instituto da Mulher Negra, que apesar de defender uma causa que apoio – a luta pela igualdade de cor e gênero -, flerta com a misandria à 3×4. Hoje, por exemplo, descobri que sou (e que você também talvez seja) um sociopata após ler 11 itens que apontam ao distúrbio (e referindo-se ao homem, sem os “@” ou “x” politicamente corretos), segundo Martha Stout. Vamos aos itens:

“1 – Ter um ego exagerado.”

Ok nêga, não sei o que você enxerga como “ego exagerado”, mas creio que tenha como parâmetro o da mulher. Não, não fico me olhando no espelho ou em cada superfície espelhada para ver se meu cabelo está do jeito que eu gosto. Ah, isso é vaidade? Pois bem, a vaidade é o lado mais inútil do ego. O mais útil – e sim, esse eu tenho de sobra – é o do conhecimento de si, do que você é e do que você sabe fazer, independente da opinião dos outros. É a capacidade de demarcar seu território e não aceitar invasão. É, sobretudo, amar a si. (Sociopatia ✓)

“2 – Mentir e exibir um comportamento manipulativo.”

Se Caetano Veloso diz “como pode querer que a mulher vá viver sem mentir?”, quem sou eu, homem, pra querer competir com elas?! O fato é que todos mentem, todos querem moldar o outro e a realidade ao seu próprio gosto. Uns dedicam sua vida ao ato, outros utilizam da mentira e da manipulação em momentos pontuais, com um objetivo imediato. Por exemplo, fazer com que aquela mulher chata, que nem namorada é, não comece uma DR inútil, desperdiçando meu precioso tempo ou evitar que um chefe inútil, que sabe menos que eu, comprometa meu trabalho ou me passe uma carga exagerada. Me encaixo perfeitamente no segundo. (Sociopatia ✓)

“3 – Demonstram uma falta de empatia.”

A definição empatia é um troço complicado. Eu consigo, sim, me colocar no lugar das pessoas, mas isso não significa que eu tomaria a mesma atitude. Se fez merda, fez merda e pronto. Pague pelo que fez. Aprenda com o que fez. Edifique-se. Sou o chamado “Pequeno Barco” do budismo. Não significa que deixo de ser altruísta, apenas não abro espaço para coitadismos. (Sociopatia ✓)

“4 – Não sentem remorso ou vergonha.”

Realmente não sinto. Sempre penso muito antes de agir. Penso ao ponto de não ser proativo exatamente por pensar demais. Mas em todas as situações em que as outras pessoas acabam vítimas desses sentimentos, o que me vem é a resignação e consciência de que fiz algo errado e vou tentar não fazer novamente. Corrigir, se possível, mas levar a vida. Memória curta pra iniciar a próxima jogada, como um bom quarterback. É, também, o de que ninguém tem moral alguma pra me recriminar, pois somos seres imperfeitos e sempre há um herói perverso procurando um vilão conveniente. Aqui não, doidão! (Sociopatia ✓)

“5 – Mantêm uma tranquilidade assustadora em situações de medo ou perigo.”

Puta merda! Se para não ser sociopata o cara tem que tremer, correr e gritar como uma gazela, desculpe, SOU SOCIOPATA! SUPER-SOCIOPATA! UM SOCIOPATA JEDI MONTADO NUM MEGAZORD!!! Mas você, mulher ou amigo, vai querer um sociopata como eu quando isso acontecer. Pois quando acontece algo do tipo, busco a solução, não me dou tempo pra sofrer de véspera ou ter medo. Minha reação ao medo, inclusive, é o ataque. Se um dia eu tiver num grupo com mais cinco pessoas e três forem mortas, eu não vou travar ou ficar chorando pela morte dos que foram, vou dar um jeito de não morrer e salvar os que puderem ser salvos, de preferência dando um fim a quem está causando tudo isso. Na minha terra, isso é agir como um homem. (Sociopatia ✓)

“6 – Comportamento irresponsável ou extremamente impulsivo.”

Aí sim, faço a mea-culpa e assumo isso como um baita defeito. Sou diabético e bebo pra caralho, por exemplo. Entretanto, caso não fosse minha irresponsabilidade, o meu maior tesouro, minha filha, não estaria aqui, jogando videogame comigo e me surpreendendo a cada dia. Ejacular dentro de uma maníaca depressiva com quem você quer terminar o namoro há alguns anos, mas que tenta se matar a cada toque no assunto é de uma irresponsabilidade fuderosíssima. Que bom que fui. Tento não ser mais. (Sociopatia ✓)

“7 – Têm poucos amigos.”

Sim, tenho pouquíssimos. Mas todos de confiança e que conhecem todos os meus defeitos que acho seguro que eles tenham acesso. E você? Que só tem amigos de conveniência, que estão perto de ti pelo personagem que você monta, pela máscara social que você veste ou pelo que eles podem ganhar estando ao seu lado? Com toda a certeza vai querer ter os meus. Que andam diminuindo, por sinal. (Sociopatia ✓)

“8 – São encantadores – mas apenas superficialmente.”

Sim, tenho meus momentos de pessoa encantadora, pois sou um cara inteligente e do tesão, da intensidade e da poesia. Me encaixo muito bem em qualquer ambiente em que eu seja inserido, mas isso não quer dizer nem que eu estou gostando de estar lá (ou com você), nem que eu precise fazer público esse meu gostar ou não. Se estou lá é por um objetivo, e esse é meu foco. E se tentar ser encantador for necessário, o farei. Você não? Além do mais, nenhum encantamento resiste ao conhecimento. (Sociopatia ✓)

“9 – Viver segundo o “princípio do prazer”.

Viver segundo o “princípio do prazer” também é conhecido como ser intenso. Sim, sou pra caralho e pago minhas consequências por isso. Tento pagar o mínimo possível e ainda estou procurando alguém que não. Que quer ser o mártir de uma sociedade hipócrita e doente. (Sociopatia ✓)

“10 – Demonstrar desrespeito pelas normas da sociedade.”

E falando em sociedade, se os negros escravos ou mulheres sob o domínio do patriarcado não tivessem desrespeitado as normas da sociedade em sua época, não haveria um site onde MULHERES NEGRAS podem dar a sua opinião e lutar pelas suas causas. O nome disso é ser transgressor. E isso eu sou, nêga! Não vem de garfo que hoje eu tô de sopa. (Sociopatia ✓)

“11 – Ter um olhar ‘intenso’.”

Sim, eu tenho, pois não tenho medo de mulher. Não tenho medo do olhar. Não sinto vergonha em desejar, em querer comer os olhos de uma mulher com os meus, de fazê-la se sentir comida e de deixar claro que sou o ser ativo do processo, de dominá-la para o seu próprio prazer e fazê-la feliz nas próximas cenas. Se você, mulher, prefere o tipo que desvia olhar e fica de docinho, meus parabéns, você é uma caçadora como eu. Ou não, teu negócio é machinho mesmo. Vade retro! (Sociopata ✓)

Pra terminar, deixo o texto base e lhes pergunto: você se sentiria segura com alguém que não fosse um sociopata?

(http://www.geledes.org.br/11-sinais-de-que-voce-pode-esta…/…)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s